Torta de Chantilly e Doce de Physalis

 

 

img_1561

Quem é que já se viu deparado com uma quantidade gigantesca de physalis, sem saber o que lhes fazer? Cá em casa, os nossos physalis estão prestes a transformar o quintal numa mini-floresta (os physalis e umas tantas outras coisas!). Eram tantos, que a cada dia que passava havia pelo menos mais uma mão cheia para colher! 🙂

Cm tantos physalis a questão foi mesmo como os arranjar para que não se estragassem. E, como não é um fruto apreciado por todos, a escolha óbvia foi fazer um doce que pudesse depois ser incorporado num bolo que fosse do agrado de todos. É esta a história desta (simples) torta de chantilly e doce de physalis. Espero que gostem tanto como eu desta fresca e doce sugestão de fim de Verão! 🙂

img_1534img_1543

Torta de Chantilly e Doce de Physalis
Ingredientes
Para a torta:
  • 6 claras grandes, à temperatura ambiente
  • 100 g de açúcar
  • 6 gemas grandes, à temperatura ambiente
  • 100 g de açúcar
  • 1 c. de chá de açúcar baunilhado
  • 120 g de farinha com fermento para bolos
  • aprox. 1/3 de copo de açúcar em pó para ajudar a enrolar a torta
Para o recheio:
  • Doce de Physalis, q.b.
  • 200 mL de natas para bater (bem frias)
  • 2 c. de sopa de açúcar
Para o Doce de Physalis:
  • 250 g de Physalis descascados e lavados
  • 150 g de açúcar amarelo
  • 1/2 copo de água
Preparação
  1. Para o Doce de Physalis. Num tachinho, juntar os physalis, o açúcar e água. Deixar ferver, mexendo sempre com uma colher de pau. Quando ficar com a consistência desejada, desligar e dexar arrefecer. Cuidado, pois o doce fica mais grosso quando arrefece. Se necessário juntar mais um pouco de água e aquecer de novo.
  2. Para a Torta. Pré-aquecer o forno a 175 ºC. Forrar um tabuleiro do forno com papel vegetal (para o papel agarrar, colocar um pouco de margarina no tabuleiro). Untar o papel vegetal com manteiga.
  3. Numa taça grande, bater as claras em castelo. Quando começarem a formar espuma, juntar o primeiro açúcar e bater até que as claras fiquem fofas, brilhantes e com picos bem definidos.
  4. Num outro recipiente, bater as gemas com o restante açúcar, durante 3 a 4 minutos, até que a mistura fique fofa e esbranquiçada. Juntar o açúcar baunilhado. Adicionar um terço do preparado das claras e envolver com cuidado com a batedeira. Repetir a operação duas vezes com a restante massa, mas agora com uma espátula em vez da batedeira.
  5. Polvilhar cerca de 1/4 da farinha sobre a massa e envolver com a espátula. Repetir até a farinha seja toda incorporada. Ir até ao fundo da taça para garantir que a farinha fique toda distribuída uniformemente.
  6. Transferir a massa para o tabuleiro e, com uma espátula, garantir que a massa fica toda com a mesma altura.
  7. Levar ao forno durante 8 a 12 minutos ou até que fique ligeiramente dourado. Enquanto a torta está no forno, colocar um pano de linho estendido sobre uma superfície lisa e polvilhar com açúcar em pó.
  8. Assim que a torta sai do forno, virá-la sobre o pano. Retirar o papel vegetal e enrolar a torta. Deixá-la arrefecer envolta na toalha de linho.
  9. Assim que estiver fria, preparar o recheio. Bater as natas com o açúcar em chantilly (primeiro as natas e só depois com o açúcar).
  10. Desenrolar a torta. Espalhar o doce de physalis sobre o bolo. Cobrir o doce com o chantilly e depois voltar a enrolar a torta. Colocar num prato de servir e guardar no frigorífico até à hora de servir.

img_1546

img_1537

Ana Fernandes ❤ ❤ ❤

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s