Galette de Pêssego e Caramelo

Hoje trago-vos a receita mais simples e fantástica de sempre. Uma galette não é nada mais nada menos do que uma tarte rústica com um recheio à base de fruta. Mas, e não esquecendo que há quem diga que a cozinha francesa é a melhor do mundo, um nome em francês dá sempre um toque especial, o tal je nai se quois!

IMG_7991

De certeza que já tiveram visitas inesperadas em casa. Ou de certeza que já se lembraram meia hora antes do jantar que vos apetece uma coisa doce, sendo que o gelado no congelador não é suficiente para saciar a gulodice. Uma galette é a solução ideal para estes momentos, pois a sua complexidade de sabores surpreende qualquer um, não deixando de ser de simples e rápida de fazer. E, melhor parte, nem é preciso esperar que arrefeça para nos deliciarmos com esta maravilha inventada pelos franceses.

A base da galette pode ser uma típica massa de tarte, feita em casa, à base de farinha e manteiga, ou então, para simplificar, uma massa quebrada ou folhada de compra. Se forem como eu, coisas destas não faltam em casa, seja de compra seja caseira, há sempre no frigorífico ou no congelador. Depois vem a fruta: qualquer variedade pode ser o recheio, desde que esteja bem madura e docinha, pois queremos que o nosso recheio seja bem sumarento. Podem até fazer conjugação de várias frutas, como pêssego e mirtilo, maçã e pêra, etc.

Nesta tarte usei uma massa de tarte caseira que tinha congelada (acreditem, vale o esforço de fazer a massa em casa, o sabor é indiscutivelmente melhor – receita a partilhar num dos próximos posts 🙂 ). Quanto à fruta, a escolha caiu nos pêssegos, os últimos do nosso pessegueiro. Para fazer o recheio basta arranjar a fruta (descascar e cortar em pedaços), juntar açúcar, uma colher de farinha, algumas especiarias, ervas aromáticas (neste caso juntei um pouco de tomilho fresco), sumo de limão ou laranja, misturar tudo, deixar macerar durante 20/30 minutos et voilà, temos o nosso recheio pronto!

IMG_8001

Depois é só estender a massa num tabuleiro forrado com papel vegetal, fazer furos com um garfo e espalhar o recheio na massa, tendo o cuidado de não a cobrir totalmente de modo a que as bordas da base sejam depois dobradas sobre o recheio. Se quiserem, podem pincelar a massa com ovo (ou gema). Levar ao forno durante 20 minutos a 180 °C (o tempo varia de forno para forno, por isso o melhor é ver quando a tarte está cozida e ligeiramente dourada.

Para terminar, e como o pêssego fica óptimo com caramelo (ou, como alguém que eu conheço diz, tudo é melhor com caramelo), regar a tarte com caramelo salgado quente 🙂 (receita para um futuro post).

Como golpe de misericórdia final, servir fatias generosas com uma gigante bola de gelado! 😀

IMG_7999

PS1: Não fiz instruções como habitualmente porque esta receita é muito simples e deve ser adaptada ao gosto pessoal de cada um. Se tiverem dúvidas, sintam-se à vontade para perguntar!

PS2: Prometo que irei publicar a receita da base da tarte e do caramelo salgado 😉

Ana Fernandes

Anúncios

One thought on “Galette de Pêssego e Caramelo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s